Curso Moço de Convés Braspanama

Nasce o Rumar

1987-  Projeto Rumo ao Mar/Primórdios do RUMAR: o Conte Carlos Borba, então Coordenador Nacional dos Escoteiros do Mar, com o propósito de auxiliar a alavancagem da arte da marinharia e a navegação a vela no Brasil, propôs o projeto Rumo ao Mar com a seguinte meta:dotar os Grupos de Escoteiros do Mar de todo o Brasil com embarcações adequadas às práticas marinheiras e despertar o gosto pelas coisas do Mar”. “O projeto da embarcação a ser utilizada, foi encomendado ao Engenheiro Maurílio Vinhas de Queiros, ex Escoteiro do Mar que, fora projetista dos escaleres em uso na Escola Naval. A embarcação, deveria ser guarnecida por 4 a 8 jovens Escoteiros” ;

2007– Origens do RUMAR: neste ano, o Conte Carlos Borba sugeriu ampliar o escopo original do Projeto Rumo ao Mar, adequando as demandas que emergiam na virada do milênio:

 

(1) a recente conquista da Amazônia Azul*;

Captura de Tela 2016-04-08 às 08.14.49

* Amazônia Azul:

  1. 4.489.919 km² de área, formada por mais de três milhões de km² de Zona Econômica Exclusiva (ZEE) e mais 950 mil km² de plataforma continental. Juntos, esses espaços marítimos correspondem a 52% do tamanho das terras continentais;
  2. 98% das cargas de nosso comércio, doméstico ou internacional, são transportadas por navios”;
  3. “retiramos mais de 85% do nosso petróleo e 75% do gás natural dos oceanos;
  4. 95% do comércio exterior brasileiro é realizado por via marítima;
  5. 45% do pescado extraímos do mar; e- no litoral concentra-se 80% da população e;
  6. nos 8.500 km de costa, estão localizados os principais destinos turísticos nacionais”

 

 

 

(2) a boa utilização dos recursos hídricos da Nação;

Captura de Tela 2016-03-20 às 18.13.54

“O Brasil é o país que tem mais rios no mundo e, quase todos são navegáveis

Publicação DPC – EPM

(3) no aproveitamento das águas para a produção de proteínas visando atender a uma demanda alimentar crescente;

(4) na reciclagem dos métodos de pesca (de captura para criação > fazendas marinhas);

(5) no resgate da vocação marítima brasileira e sua cultura (“Mentalidade Marítima” […] é a convicção ou crença, individual ou coletiva, da importância do mar para a Nação Brasileira e o desenvolvimento de hábitos, atitudes, comportamento ou vontade de agir no sentido de utilizar, de forma sustentável, as potencialidades do mar”);

(6) visando enfim, o desenvolvimento dos jovens como cidadãos responsáveis e participativos no processo da evolução social. Foi aí, que navegando de coração aberto em busca destes ideais, o projeto inicial vai se ampliando com novos entusiasta.

2008 – Assembleia de Constituição: em 3 de junho de 2008 em Assembleia de Constituição no Museu Naval, nasce o RUMAR com 81 assinaturas entre oficiais da Marinha do Brasil e civis.

A data não foi escolhida aleatoriamente, como explica o Conte Borba. Era Lua Nova, “simbolizando o compromisso de crescer continuadamente, até atingir a sua plenitude na Lua Cheia. Aprofundando esta explicação astrológica, constata-se que o RUMAR nasceu no signo de Gêmeos.

FONTE INSPIRADORA – IDENTIDADE DA ORGANIZAÇÃO: O Programa de Mentalidade Marítima e o Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro – PNGC II são os parâmetros que norteiam o RUMAR, inspirando suas atividades e projetos, para vencer desafios do tamanho do Brasil (e.g. AMAZÔNIA AZUL, com 4,4 milhões de km²).

Além disto, deveria também contribuir para estreitar os laços que unem a MB com a Sociedade Civil, aumentando a cumplicidade entre ambas. Portanto, deveria ser uma organização híbrida com militares e civis.

“O Brasil é potência transatlântica: Que venham pois todos aqui comerciar, nada mais; porém, em pé de perfeita igualdade …”

José Bonifácio de Andrada e Silva

talvez o primeiro brasileiro a assumir consciência da maritimidade nacional

O Lema RUMO AO MAR, foi adotado em 1910 pelo então Ministro da Marinha, Almirante Alexandrino de Alencar;

Anotações do Comte Borba;

http://www.praticagemdobrasil.org.br/praticagem/o-pratico/ (em 28/01/2016);